Córnea

A córnea é a parte anterior transparente e protetora dos olhos e tem a função de focar a luz através da pupila para a retina, como se fosse uma lente fixa.
As lentes de contato são posicionadas sobre a córnea e para que alcancem o seu objetivo sem causar riscos para a integridade do olho precisam ser adaptadas pelo oftalmologista, que escolherá o melhor material e os parâmetros adequados para cada paciente.
As lentes são utilizadas principalmente para a correção dos diferentes tipos de grau (miopia, astigmatismo, hipermetropia, e presbiopia), podendo também ter finalidade estética (lentes coloridas), e terapêuticas para algumas doenças da córnea.
No exame oftalmológico avalia-se as condições para o uso das lentes de contato. Alguns pacientes têm características que impedem o uso, enquanto outros precisam tratar certas condições que dificultam a adaptação (alergia, blefarite) antes de iniciar o teste com as lentes.

Ceratocone

É uma doença ocular não inflamatória que afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a percepção de imagens distorcidas. A evolução do ceratocone é quase sempre progressiva com o aumento do astigmatismo, mas pode estacionar em determinados casos.
Na sua fase inicial, o ceratocone apresenta-se como um astigmatismo irregular, levando o paciente a trocar o grau do astigmatismo com frequência.
O diagnóstico definitivo desta patologia é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos como a topográfica corneana e a paquimetria ultrassônica.

Sintomas: visão borrada e distorcida tanto para longe quanto para perto. Alguns podem relatar diplopia (visão dupla) ou poliopia (percepção de várias imagens de um mesmo objeto), halos em torno das luzes, fotofobia (sensibilidade excessiva à luz) e coceira.

Cirurgias Crosslinking Corneano

É um novo tratamento cirúrgico desenvolvido com a finalidade de aumentar a resistência da córnea, aumentando sua estabilidade. O objetivo é minimizar a progressão do ceratocone e com isso retardar ou até mesmo evitar um futuro transplante de córnea.
O procedimento está indicado para pacientes portadores das chamadas ectasias corneanas, como ceratocone e degeneração marginal pelúcida. O tratamento também pode ser realizado em pacientes previamente submetidos a outras cirurgias na córnea. O crosslinking corresponde ao processo de fortalecimento de uma estrutura pela indução de ligações covalentes entre as moléculas de um mesmo material ou órgão.
No crosslinking da córnea, haverá um fortalecimento das fibras de colágeno (que representam as pontes de sustentação da córnea). Com o aumento da resistência corneana, diminui-se a elasticidade da córnea e com isso, reduz-se a chance de progressão do abaulamento corneano, responsável pelo alto astigmatismo e baixa da visão.
A córnea com fibras de colágeno menos unidas, será mais frágil (deformável) em comparação com a córnea com fibras de colágeno mais unidas (crosslinking).

Anel de Ferrara

É uma das opções para o tratamento do ceratocone, doença que provoca a deformação da superfície da córnea, fazendo com que ela perca a sua forma circular natural e adquira um formato cônico e irregular, prejudicando a visão. Esse anel é implantado dentro da córnea, com o objetivo de alterar a sua curvatura e regularizar a sua superfície, melhorando a acuidade visual e a qualidade de vida das pessoas que possuem o ceratocone.

Existem diferentes tratamentos do ceratocone, desde a utilização de óculos, lentes de contato, implantação do anel de Ferrara, transplante de córnea e o Crosslinking, sendo que a escolha de cada uma delas dependerá da situação clínica de cada paciente e da evolução da doença.
A implantação do anel de Ferrara é indicada nos casos em que a doença se encontra em franca evolução, quando há uma distorção muito acentuada da córnea ou nos casos em que o paciente não tolera a utilização da lente de contato ou não está apresentando uma boa acuidade visual com a utilização contínua dos óculos ou lentes de contato.
Transplante de Córnea ou Ceratoplastia realizado em casos de Ceratone avançado em que o tratamento convencional não obteve êxito, leucomas corneanos e edema corneano irreversível?

Cirurgia Refrativa

É uma das cirurgias dos olhos mais realizadas no mundo. Desde 1990, milhões de pessoas já realizaram o procedimento com a finalidade de corrigir graus como miopia, astigmatismo e hipermetropia, eliminando assim o uso de óculos ou lentes de contato. É uma cirurgia considerada simples, que dispensa a necessidade de internação, pois é realizada através do equipamento EXCIMER LASER, que tem a propriedade de esculpir a córnea, uma das lentes do olho humano. Os avanços nesta área da oftalmologia vêm se acumulando, permitindo resultados cada vez mais precisos que explicam a satisfação relatada por 99,5% dos pacientes.

Técnicas Cirúrgicas

De acordo com as características de cada paciente o especialista definirá qual é a melhor técnica a ser empregada. Os resultados visuais são excelentes, porém diferem quanto ao conforto pós-operatório e tempo de recuperação visual.

PRK: no PRK, retira-se a camada superficial da córnea (epitélio) e em seguida é feita a aplicação do EXCIMER LASER, definindo a correção do grau. Ao fim da cirurgia, coloca-se uma lente de contato gelatinosa sem grau para reduzir o desconforto e permitir o crescimento da camada removida (epitélio). A recuperação visual e o restabelecimento do conforto dependem desta cicatrização, o que ocorre em média dentro de cinco dias, quando então é retirada a lente gelatinosa.

LASIK: no LASIK, a camada superficial da córnea (epitélio) é elevada como uma tampa (flap) expondo sua área mais profunda, onde será aplicado o EXCIMER LASER para modificar o grau. Após a ação do LASER, o flap é reposicionado deixando a superfície da córnea com fina linha a ser cicatrizada, o que explica o grande conforto imediato. Esta técnica se caracteriza pelo pós-operatório assintomático na maioria dos casos e imediata recuperação visual. Originalmente a primeira etapa da cirurgia é realizada com uma lâmina.

LASIK A LASER – Z LASIK: no LASIK a LASER, o procedimento é feito sem uso de lâminas, o que torna a cirurgia mais segura e menos invasiva. No Brasil esta técnica vem sendo utilizada em centros de referência em cirurgia refrativa em proporção crescente nos últimos cinco anos.
O Hospital de Olhos de Niterói, mantendo seu compromisso em oferecer excelência em oftalmologia, oferece no seu Setor de Cirurgia Refrativa o LASIK a LASER, denominado Z-LASIK, com o LASER de FEMTOSEGUNDO LDV.

Faça o seu Pré-Agendamento

Com o nosso pré-agendamento online, você faz seu cadastro e nossa equipe de atendimento entrará em contato com você.